A giárdia em cães é causada por um parasita e é caracterizada pelos incômodos gastrointestinais. Além disso, é considerada uma zoonose, já que pode contaminar também aos seres humanos. Por esse motivo, necessita de atenção e precisa ser tratada logo quando descoberta. 

A sua aparição se dá principalmente em épocas quentes, tais como no verão. Isso porque o clima abafado e úmido aumenta a proliferação. Ainda, é neste período do ano que muitos tutores decidem viajar com seus pets, expondo-os à patologias. Por isso, no post de hoje iremos falar sobre a giárdia em cães e como fazer para preveni-la.

O que é a giárdia em cães?

A giárdia em cães também pode ser conhecida como giardíase. Ela é causada por um organismo celular parasitário, que adentra o intestino dos cachorrinhos. Assim, ela tem como função causar infecções e transforma o intestino do pet. Também pode danificar o seu sistema digestivo.

Uma vez no intestino, a giardíase irá lesionar as células da parede intestinal do animalzinho. Assim irá debilitá-lo causando fortes dores estomacais, vômitos e diarreia intensa. Com estes sintomas, pode levá-lo rapidamente à morte. Por esse motivo, é muito importante tratá-lo e não deixá-lo entrar em contato com outros animais.

Apesar de a giárdia em cães ser a mais comum, ela contamina todos os mamíferos. Isso inclui também nós, seres humanos. Mas nos pets ela é mais difícil de ser curada, devido ao processo de reinfecção do animal. Isso porque se ele se lamber, pode contrair a doença novamente. É o que explica João Gustavo de Souza, veterinário da clínica Lovely Dog.

Principais causas para transmissão da doença

A causa da giárdia em cães é muito diversa. Isso se deve ao fato de que seu parasita pode estar presente na água e alimentos contaminados. Mas também contamina qualquer outra coisa que tenha tido contato com fezes infectadas. Contudo, nos cãezinhos a causa mais comum ainda é a água.

Outra possibilidade muito comum entre os pets é com a ingestão de fezes. Isso acontece com muita frequência entre cachorros e gatos, seja em casa ou na rua. Por esse motivo é de extrema importância recolher logo as fezes de seu pet. Além disso, lembrar-se de sempre desinfectar e lavar muito bem as mãos.

Giárdia em cães: saiba tudo sobre esta zoonose

Quais são os sintomas da giárdia em cães?

Para saber se o seu pet está com a giárdia em cães, é preciso estar atento a alguns sintomas específicos. Entre eles, destacamos estes abaixo:

  • Diarreia constante;
  • Fezes com sangue e mau cheiro;
  • Vômitos;
  • Perda de apetite;
  • Dores abdominais;
  • Perda de peso.

No entanto, alguns animais de estimação contraem a giardíase e permanecem assintomáticos. Isso quer dizer que eles não desenvolvem nenhum tipo de sintoma. Assim, fica mais difícil de diagnosticá-lo. Por isso ressaltamos a importância da consulta a um médico veterinário no caso de qualquer um destes sintomas.

Tratamentos e prevenção da patologia

Como dissemos anteriormente, nem sempre o diagnóstico da giárdia em cães é preciso. Porém, ela pode ser identificada por meio de exames de sangue e de fezes. Assim, analisa-se se há vestígios do parasita. Vale lembrar ainda que esse diagnóstico só pode ser feito por um veterinário, levando em conta o histórico de saúde do pet.

Após ter o resultado do diagnóstico, é possível iniciar o tratamento com o auxílio de remédios via oral. Para quadros severos, pode ser recomendada a internação. Mas tudo dependerá da situação específica de cada animalzinho. 

Para prevenir a giárdia em cães é preciso esforço e cuidado da parte de tutores. Afinal, o parasita da patologia é resistente no meio ambiente mesmo sem um hospedeiro. Por isso, mantenha seu amiguinho longe de animais e ambientes contaminados. Além disso, não deixe de vaciná-lo contra a doença por meio da V8 e V10.

Gostou de tudo o que leu até aqui? Então não deixe de nos contar o que achou em nossos comentários! Para continuar recebendo dicas e novidades sobre o mundo animal, acompanhe as postagens do nosso blog.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *