Nós humanos estamos acostumados com situações como gripes e resfriados, não é mesmo? Nariz escorrendo, corpo fraco e demais outros sintomas que fazem com que não queiramos sair da cama. Mas e quando isso acontece com o seu cachorro? Conheça mais sobre a gripe canina.

Pensando nesse grande dilema que muitos donos de pet possuem, separamos algumas dicas e sugestões sobre como cuidar de seu cachorro quando ele está gripado. Vamos lá?

A gripe de cachorros, também conhecida como tosse dos canis(Bordetella bronchiseptica), é ocasionada por vírus e bactérias que acabam se propagando entre os cães. Isso faz com que eles fiquem doentes caso compartilhem do mesmo ambiente por muito tempo. 

gripe canina

Assim como para os humanos, a gripe canina pode causar desânimo e desconforto nos pets, pois os sintomas são muito parecidos. Vômitos acompanhados de secreção nasal, além de falta de apetite ou apatia são os casos mais comuns. Já situações como anorexia e até mesmo dificuldade na respiração podem demonstrar casos mais graves.

A gripe canina atinge os humanos?

Da mesma forma que a gripe humana não atinge os pets, a gripe canina também não afeta a gente. A maioria dos problemas respiratórios são específicos na natureza, significando que o cachorro transmite o vírus da gripe somente para seus semelhantes. Pode ficar tranquilo, você não pegará gripe de seu cachorro e vice-versa.

Como cuidar

A partir do momento que o seu cachorro demonstrar esses sintomas, leve-o imediatamente no veterinário. Afinal, é extremamente importante que você tenha a opinião e o diagnóstico de um especialista. Quando diagnosticado a gripe canina, não invista em receitas caseiras como sopas, chás ou remédios antigripais. Nada disso adianta para cachorros. 

A gripe dos cachorros é bacteriana, fazendo com que o tratamento também seja feito a base de antibióticos. O veterinário vai indicar medicamentos de acordo com a idade de seu pet, além da raça e do peso. Além disso, alguns cuidados básicos como: 

  • Manter seu cachorro sempre hidratado;
  • Estimulá-lo a comer;
  • Mantê-lo sempre longe de correntes frias de ar;

Outra dica que ajuda e muito é sempre manter as vacinas do seu pet em dia. Com isso, os riscos de qualquer problema de saúde podem ser reduzidos. Existem vacinas específicas para o tratamento da Bordetella bronchiseptica que não são obrigatórias. Porém, é muito importante que seu pet esteja sempre prevenido.

Se quiser ficar por dentro de mais dicas e novidades sobre o mundo pet, confira nosso blog. Aqui você encontra soluções, recomendações e muito mais. Até a próxima!!!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *